Nossas ações


1. Campanha de arrecadação de gibis e livros infantojuvenis para o Projeto Social LÊ GIBI, de André Correia (Aracaju - SE)
13/01/2015 - atual 
https://www.facebook.com/voxamorisetscientiae/photos/a.527341657370362.1073741828.525829797521548/884991118272079/



Em um retângulo branco, estão os logotipos do Super Specialis e do Projeto Social Lê Gibi. Sobre a imagem, está escrito: "O Super Specialis é parceiro do Projeto Social Lê Gibi, criado pelo cartunista e contador de histórias sergipano André Comanche Correia,  que arrecada gibis e livros infantojuvenis e os distribui em Aracaju (Sergipe), incentivando a leitura de crianças e adolescentes. Se você mora no Sudeste, pode enviar suas doações para nós, para que as repassemos a André: DR. EDSON DE TOLEDO Rua Brigadeiro Tobias, 118, 28º andar, cj. 2812  Edifício Mirante do Vale (ao lado do Viaduto Santa Ifigênia) Centro - São Paulo - SP CEP: 01032-902 Super Specialis superspecialis.blogspot.com facebook.com/voxamorisetscientiae twitter.com/SuperSpecialis Projeto Social Lê Gibi facebook.com/projetosociallegibi"
Descrição: Em um retângulo branco, estão os logotipos do Super Specialis e do Projeto Social Lê Gibi. Sobre a imagem, está escrito:
"O Super Specialis é parceiro do Projeto Social Lê Gibi, criado pelo cartunista e contador de histórias sergipano André Comanche Correia,
que arrecada gibis e livros infantojuvenis e os distribui em Aracaju (Sergipe), incentivando a leitura de crianças e adolescentes.
Se você mora no Sudeste, pode enviar suas doações para nós, para que as repassemos a André:
DR. EDSON DE TOLEDO
Rua Brigadeiro Tobias, 118, 28º andar, cj. 2812
Edifício Mirante do Vale (ao lado do Viaduto Santa Ifigênia)
Centro - São Paulo - SP
CEP: 01032-902
Super Specialis
superspecialis.blogspot.com
facebook.com/voxamorisetscientiae
twitter.com/SuperSpecialis
Projeto Social Lê Gibi
facebook.com/projetosociallegibi"






Descrição: "Quantos gibis você leu quando era criança?" Com esta pergunta, o Projeto Social Lê Gibi faz com que nos recordemos de uma época em que tudo era novidade; a vida era uma verdadeira aventura cheia de descobertas e nós nos imaginávamos como protagonistas: heróis que lutavam contra o mal ou simplesmente mais um personagem que podia interagir com sua turma favorita das histórias em quadrinhos...   Essa época contribuiu para que nos tornássemos quem somos hoje. Todos concordam que as histórias em quadrinhos fazem parte da formação do leitor e, portanto, do desenvolvimento do senso crítico de cada um de nós. Infelizmente, nem todas as crianças têm acesso a esse universo mágico... Muitas nunca tiveram a oportunidade de ter um gibi nas mãos. Isso faz com que sua leitura e seu vocabulário se tornem cada vez mais atrasados em relação ao esperado para sua idade, o que influencia na aquisição de todos os demais conhecimentos. A missão do Projeto Social Lê Gibi é justamente levar esse material a crianças que não podem comprá-lo! Esse trabalho, criado por André Correia, já tem mais de um ano e é voltado a comunidades carentes da cidade de Aracaju (Sergipe, Nordeste do Brasil). Ele conta com a colaboração de pessoas como você, que pode compartilhar um pouco de sua infância feliz e cheia de boas lembranças das histórias que leu um dia! André leva os gibis às crianças e lhes conta histórias que falam sobre assuntos importantes, como reciclagem. Esses momentos contam ainda com o talento artístico de seu idealizador, que toca violão e desenha durante a “contação de histórias”! O projeto Super Specialis, por visar à divulgação de informações sobre diversidade e inclusão, apoia e tem o orgulho de ser parceiro do Projeto Social Lê Gibi, unindo São Paulo a Sergipe nessa bela missão de formar cidadãos mais cultos e conscientes! Doe gibis com temática infantil (exemplos: Turma da Mônica, O Menino Maluquinho, Disney etc) e colabore com a formação de muitos leitores brasileiros! Ah! É importante que eles estejam em bom estado!
Descrição: "Quantos gibis você leu quando era criança?" Com esta pergunta, o Projeto Social Lê Gibi faz com que nos recordemos de uma época em que tudo era novidade; a vida era uma verdadeira aventura cheia de descobertas e nós nos imaginávamos como protagonistas: heróis que lutavam contra o mal ou simplesmente mais um personagem que podia interagir com sua turma favorita das histórias em quadrinhos...   Essa época contribuiu para que nos tornássemos quem somos hoje. Todos concordam que as histórias em quadrinhos fazem parte da formação do leitor e, portanto, do desenvolvimento do senso crítico de cada um de nós. Infelizmente, nem todas as crianças têm acesso a esse universo mágico... Muitas nunca tiveram a oportunidade de ter um gibi nas mãos. Isso faz com que sua leitura e seu vocabulário se tornem cada vez mais atrasados em relação ao esperado para sua idade, o que influencia na aquisição de todos os demais conhecimentos. A missão do Projeto Social Lê Gibi é justamente levar esse material a crianças que não podem comprá-lo! Esse trabalho, criado por André Correia, já tem mais de um ano e é voltado a comunidades carentes da cidade de Aracaju (Sergipe, Nordeste do Brasil). Ele conta com a colaboração de pessoas como você, que pode compartilhar um pouco de sua infância feliz e cheia de boas lembranças das histórias que leu um dia! André leva os gibis às crianças e lhes conta histórias que falam sobre assuntos importantes, como reciclagem. Esses momentos contam ainda com o talento artístico de seu idealizador, que toca violão e desenha durante a “contação de histórias”! O projeto Super Specialis, por visar à divulgação de informações sobre diversidade e inclusão, apoia e tem o orgulho de ser parceiro do Projeto Social Lê Gibi, unindo São Paulo a Sergipe nessa bela missão de formar cidadãos mais cultos e conscientes! Doe gibis com temática infantil (exemplos: Turma da Mônica, O Menino Maluquinho, Disney etc) e colabore com a formação de muitos leitores brasileiros! Ah! É importante que eles estejam em bom estado!







2. Campanha de divulgação da missão LEH DIVAS de arrecadação de material escolar para a Escola Tiquira (Campinas - SP) 

03/02/2015 - 13/03/2015

Descrição: Folder da Escola de Educação Básica Tiquira: Na capa, está o logotipo da instituição, que consiste em um desenho em forma de gota, onde há outro desenho de um indiozinho e, embaixo dele, o nome "Tiquira". Abaixo, vê-se a razão social: "Centro de Desenvolvimento Humano Ltda. Epp." e, mais abaixo, em letras maiores, "Escola de Educação Básica Tiquira: Educação infantil 1ª e 2ª fase; Ensino Fundamental 1º ao 5º ano. Na parte traseira, há um pequeno texto, que diz: "Nossa filosofia é basicamente humanista, pois as mudanças de pensamentos são de extrema importância para o enriquecimento das reflexões pedagógicas em busca de uma educação ideal que faça de nossos alunos mais autoconfiantes e elevem sua auto-estima, combatendo assim as ideias de incapacidade frente a suas limitações. Acreditamos na diversidade e na possibilidade de transformação." Embaixo, vê-se a foto de um menino loiro, de olhos azuis, sentado a uma mesa na sala de aula. Ele está olhando para a câmera e sorrindo. No centro do folder, vê-se novamente o logotipo da instituição, no topo, seguido dos dizeres: "Escola de Educação Básica Tiquira". Embaixo, há um selo verde escuro, que tem um formato que lembra uma tampa metálica de garrafa. No centro do selo, está escrito: "Desde 1989 educando na inclusão". Na parte de baixo, está o endereço da escola: Rua Frei Antônio de Pádua, 1208/1387. Jardim Guanabara. CEP 13073-330. Campinas - SP. Telefone: (19) 3242-4526. E-mail: contato@escolatiquira.com.br
Descrição: Folder da Escola de Educação Básica Tiquira: Na capa, está o logotipo da instituição, que consiste em um desenho em forma de gota, onde há outro desenho de um indiozinho e, embaixo dele, o nome "Tiquira". Abaixo, vê-se a razão social: "Centro de Desenvolvimento Humano Ltda. Epp." e, mais abaixo, em letras maiores, "Escola de Educação Básica Tiquira: Educação infantil 1ª e 2ª fase; Ensino Fundamental 1º ao 5º ano. Na parte traseira, há um pequeno texto, que diz: "Nossa filosofia é basicamente humanista, pois as mudanças de pensamentos são de extrema importância para o enriquecimento das reflexões pedagógicas em busca de uma educação ideal que faça de nossos alunos mais autoconfiantes e elevem sua auto-estima, combatendo assim as ideias de incapacidade frente a suas limitações. Acreditamos na diversidade e na possibilidade de transformação." Embaixo, vê-se a foto de um menino loiro, de olhos azuis, sentado a uma mesa na sala de aula. Ele está olhando para a câmera e sorrindo. No centro do folder, vê-se novamente o logotipo da instituição, no topo, seguido dos dizeres: "Escola de Educação Básica Tiquira". Embaixo, há um selo verde escuro, que tem um formato que lembra uma tampa metálica de garrafa. No centro do selo, está escrito: "Desde 1989 educando na inclusão". Na parte de baixo, está o endereço da escola: Rua Frei Antônio de Pádua, 1208/1387. Jardim Guanabara. CEP 13073-330. Campinas - SP. Telefone: (19) 3242-4526. E-mail: contato@escolatiquira.com.br






3. Divulgação da campanha de arrecadação em prol do Espaço Pedagógico de Artes (São Paulo - SP) - Parceria com a página LEH DIVAS.

05/02/2015 - 05/2016

Descrição: "Inclusão e estimulação através da arte". Você já imaginou um lugar onde pessoas com e sem deficiência pudessem frequentar e usufruir de projetos culturais diferenciados, oficinas de arte, mostras e cursos de curta duração?  ESTE LUGAR EXISTE! O Espaço Pedagógico de Artes é uma iniciativa de um pequeno grupo de pessoas que resolveu oferecer a oportunidade para todos se encontrarem e trocarem conhecimento, ao mesmo tempo que desenvolvem habilidades artísticas e sociais. Como eles ainda não possuem investidores, contam com a parceria do Centro de Orientação Musical, que cede seu espaço para a realização das aulas, oficinas e eventos. Eles recebem pessoas como você, que lê este texto agora; como eu, que digitei estas palavras; como aquele rapaz com Síndrome de Down que você viu no Metrô; como seu irmão; como aquela menina autista com quem você cruzou certa vez; como aquela moça cadeirante que mora perto de onde você trabalha; como aquele menino que saía da escola, bem falante, ao lado da mãe...  Quanta gente, não é?  Por isso, o Espaço Pedagógico de Artes precisa de ajuda. Se você puder ajudar, muita gente terá a oportunidade de conviver com todas essas pessoas e viver a experiência real da inclusão! Você pode colaborar muito, doando brinquedos pedagógicos, brinquedos comuns, itens para venda no bazar (novos ou em bom estado) ou ainda apadrinhando um aluno que não tem possibilidade de pagar a mensalidade!  Para conhecerem melhor este belo trabalho, acessem as páginas do Espaço Pedagógico de Artes ou visitem-no! Os endereços estão abaixo! Espaço Pedagógico de Artes: Rua Botucatu, 473 – Vila Mariana (Próx. Ao Metrô Santa Cruz). Telefone: (11) 5082-1727. E-mail: espacopedagogicodeartes@gmail.com . Blog: https://espacopedagogicodeartes.wordpress.com . Facebook: https://www.facebook.com/espacopedagogicodeartes
Descrição: "Inclusão e estimulação através da arte". Você já imaginou um lugar onde pessoas com e sem deficiência pudessem frequentar e usufruir de projetos culturais diferenciados, oficinas de arte, mostras e cursos de curta duração?  ESTE LUGAR EXISTE! O Espaço Pedagógico de Artes é uma iniciativa de um pequeno grupo de pessoas que resolveu oferecer a oportunidade para todos se encontrarem e trocarem conhecimento, ao mesmo tempo que desenvolvem habilidades artísticas e sociais. Como eles ainda não possuem investidores, contam com a parceria do Centro de Orientação Musical, que cede seu espaço para a realização das aulas, oficinas e eventos. Eles recebem pessoas como você, que lê este texto agora; como eu, que digitei estas palavras; como aquele rapaz com Síndrome de Down que você viu no Metrô; como seu irmão; como aquela menina autista com quem você cruzou certa vez; como aquela moça cadeirante que mora perto de onde você trabalha; como aquele menino que saía da escola, bem falante, ao lado da mãe...  Quanta gente, não é?  Por isso, o Espaço Pedagógico de Artes precisa de ajuda. Se você puder ajudar, muita gente terá a oportunidade de conviver com todas essas pessoas e viver a experiência real da inclusão! Você pode colaborar muito, doando brinquedos pedagógicos, brinquedos comuns, itens para venda no bazar (novos ou em bom estado) ou ainda apadrinhando um aluno que não tem possibilidade de pagar a mensalidade!  Para conhecerem melhor este belo trabalho, acessem as páginas do Espaço Pedagógico de Artes ou visitem-no! Os endereços estão abaixo! Espaço Pedagógico de Artes: Rua Botucatu, 473 – Vila Mariana (Próx. Ao Metrô Santa Cruz). Telefone: (11) 5082-1727. E-mail: espacopedagogicodeartes@gmail.com . Blog: https://espacopedagogicodeartes.wordpress.com . Facebook: https://www.facebook.com/espacopedagogicodeartes




4. Mobilização pela descrição de imagens nas redes sociais.
23/03/2015 - atual 





5. Campanha de incentivo à leitura.

04/02/2016 - atual







Autoria

"Super Specialis" (superspecialis.blogspot.com) é de autoria de Carmem Toledo. Está proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo aqui publicado, inclusive dos disponibilizados através de links aqui presentes. A mesma observação se estende a todos os blogs e páginas da autora ("Culturofagia", "O Caminhante Solitário", "Sophia... Ieri, Oggi, Domani", "A. B. A. C. A. T") e toda e qualquer criação, seja em forma de texto ou ilustração, por ela assinada.

Aviso:

Antes que esta página fosse criada, houve muita leitura sobre os temas abordados. Em caso de dúvidas, acesse todas as seções do blog e leia com atenção (sobretudo as guias "Sobre", "Quem somos" e "Indicações bibliográficas").

Não copie e cole o conteúdo aqui presente em qualquer outro lugar, pois ele foi escrito com muita pesquisa e dedicação. Lutar por respeito à diversidade e à inclusão também é lutar pela ética e quem se apropria do trabalho alheio não está preocupado com nada disso. Se você quiser compartilhar, copie o link para as postagens, e não seu texto.

Se você tiver alguma dúvida específica sobre seu filho, neto, sobrinho ou aluno, procure um profissional especializado que corresponda melhor à sua situação. Não use a internet para procurar ou perguntar sobre medicamentos e tratamentos, pois isso pode lhe causar um grande transtorno.