domingo, 2 de abril de 2017

Dia Mundial de Conscientização do Autismo - 2017


Todos os anos, o dia 2 de abril é dedicado à chamada mundial para a conscientização do autismo e, para lembrar a data e convidar a sociedade a se unir à causa, várias instituições, grupos de apoio e cidadãos promovem eventos voltados ao tema.
Este ano, o Super Specialis esteve presente na caminhada realizada na Avenida Paulista!


A diversidade saltava aos olhos dos participantes e testemunhas! Gostamos muito de ver a integração e o respeito que havia no local. Além disso, notamos que várias pessoas que não participavam da caminhada, ao passarem pela "mais paulista das avenidas", paravam e, com um sorriso no rosto, tiravam fotos, registrando a união de tantas pessoas em torno de reivindicações por inclusão, melhor atendimento aos indivíduos com TEA e, claro, respeito.

Promovido pelo Centro Lumi, pela Associação de Pais Inspirare e pelo Grupo de Apoio a Pais e Familiares de Autistas - TEApoio, o acontecimento também contou com roda de capoeira (com o grupo Sapecapoeira), vivência terapêutica com cães guias (projeto Au-ma Gêmea) e aves (projeto Biophilia), interação com a Fábrica de Heróis e apresentações musicais com Adriana Godoy, Fernando Pavone, Vitória Giovanna e Geovanna. 

Caminhadas como a de hoje dizem respeito à sociedade toda, e não somente àqueles que se veem envolvidos diretamente com a causa em questão. Todas as pessoas - autistas, downs, cadeirantes, cegos, alto habilidosos, com ou sem deficiência, de todos os gêneros, independente da sexualidade, raça, credo, profissão, títulos ou escolhas (sejam quais forem) - fazem parte da sociedade, o que significa que todos os assuntos estão relacionados a cada um de nós. 

O projeto Super Specialis deseja que, em um futuro próximo, haja respeito entre todos os seres humanos e que as características de cada indivíduo sejam vistas apenas como fatores enriquecedores de sua identidade, e não mais como motivos de segregação. Quando todos nós tivermos a consciência de que somos habitantes do mesmo planeta e que, para nosso próprio bem e pela sobrevivência de nossa espécie, necessitamos de colaboração mútua, então, poderemos afirmar que estamos evoluindo verdadeiramente. 

Carmem Toledo

Uma parte dos participantes da caminhada.
À frente, um grupo leva a faixa da AMA - Associação de Amigos do Autista.
Embaixo do nome da insituição, está escrito: "Caminhando pelo autismo".

Na imagem acima, várias reivindicações estão coladas a uma parede
no Parque Mario Covas.
São elas: "O Brasil precisa conhecer o autismo";
"Existem 2 milhões de autistas no Brasil";
"A criança autista precisa ir para a escola";
"Autismo é apenas uma maneira de ver o mundo com um jeito diferente de ser";
"Autismo: O amor não conhece barreiras";
"Autismo não é contagioso, preconceito sim";
"Autismo: Apenas uma palavra, não uma sentença";
"Inclusão: Um direito de todos";
"Não existem dois autistas iguais";
"Pais de crianças autistas têm direito a jornada de trabalho reduzida sem efeito salarial";
"Ensina-me de várias maneiras, pois eu sou capaz de aprender".
Na caminhada, várias pessoas vestem camisetas azuis.
Algumas pessoas vestem branco, com dizeres em apoio ao autismo.

Apresentações musicais fizeram parte do evento.
Belas vozes encantaram a todos!


Autoria

"Super Specialis" (superspecialis.blogspot.com) é de autoria de Carmem Toledo. Está proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo aqui publicado, inclusive dos disponibilizados através de links aqui presentes. A mesma observação se estende a todos os blogs e páginas da autora ("Culturofagia", "O Caminhante Solitário", "Sophia... Ieri, Oggi, Domani", "A. B. A. C. A. T") e toda e qualquer criação, seja em forma de texto ou ilustração, por ela assinada.

Aviso:

Antes que esta página fosse criada, houve muita leitura sobre os temas abordados. Em caso de dúvidas, acesse todas as seções do blog e leia com atenção (sobretudo as guias "Sobre", "Quem somos" e "Indicações bibliográficas").

Não copie e cole o conteúdo aqui presente em qualquer outro lugar, pois ele foi escrito com muita pesquisa e dedicação. Lutar por respeito à diversidade e à inclusão também é lutar pela ética e quem se apropria do trabalho alheio não está preocupado com nada disso. Se você quiser compartilhar, copie o link para as postagens, e não seu texto.

Se você tiver alguma dúvida específica sobre seu filho, neto, sobrinho ou aluno, procure um profissional especializado que corresponda melhor à sua situação. Não use a internet para procurar ou perguntar sobre medicamentos e tratamentos, pois isso pode lhe causar um grande transtorno.