quarta-feira, 27 de abril de 2016

Um texto descontraído sobre inteligência e altas habilidades


No Twitter, têm sido frequentes comentários irônicos sobre o QI de uma pessoa famosa, por causa de suas opiniões políticas e postura nas redes sociais.  



O problema é que raras pessoas, no Brasil, têm conhecimento sobre AH/SD (Altas Habilidades/Superdotação) e por causa disso, impera o preconceito.
Aqui no blog, temos postagens voltadas para o tema, visando esclarecer algumas dúvidas comuns. Também disponibilizamos leis que protegem os direitos dos alto-habilidosos/superdotados. Pouquíssima gente sabe disso, mas eles também são pessoas com necessidades especiais, mesmo que não possuam nenhum tipo de deficiência.

Ainda sobre as críticas dirigidas a essa celebridade (e a tantos outros alto-habilidosos), é preciso esclarecer alguns pontos:


1. A capacidade cognitiva não deve ser avaliada como um bloco homogêneo, mas como um conjunto de habilidades que abrangem inteligências múltiplas. São elas (segundo Gardner): lógico-matemática, linguística, musical, espacial, corporal-cinestésica, intrapessoal, interpessoal, naturalista e existencial. Existem ainda, de acordo com Renzulli, a superdotação acadêmica, que pode ser mensurada por testes padronizados, e a superdotação produtivo-criativa, que está relacionada à originalidade e deve ser avaliada com mais cuidado, geralmente, através da observação da elaboração de trabalhos e ideias.


2. Nem sempre a maturidade emocional acompanha o quoeficiente intelectual. Aliás, há muitos alto-habilidosos com problemas emocionais. Isso acontece porque eles costumam ser excessivamente sensíveis, o que faz com que se irritem ou se magoem facilmente.


3. Na maioria dos casos, as Altas Habilidades / Superdotação concentram-se em uma determinada área do conhecimento. Entretanto, há várias pessoas que são alto-habilidosas em mais de uma área. E raras pessoas o são em tudo.


É importante que fique claro que não estamos "falando mal" dessa celebridade, tampouco apoiando suas opiniões. Estamos apenas tentando informar os leitores.

Temos um membro alto-habilidoso no Super Specialis que também pode ser tomado como exemplo: 

Nosso membro é uma pessoa alto-habilidosa linguística/produtivo-criativa, com talentos artísticos, que se magoa com muita facilidade, tem transtorno de ansiedade, além de algumas fobias procedentes de experiências passadas e imaturidade emocional. Não vamos identificá-lo por enquanto, porque ele teme represálias de pessoas preconceituosas (este temor faz parte de suas inseguranças e de sua precaução contra indivíduos que ainda não sabem utilizar a internet).

Sobre as habilidades do integrante do Super Specialis: 

Começou a falar (expressando-se com a intenção de se comunicar ou pedir algo) aos oito meses. Antes dos dois anos, já conversava. Identificava letras e palavras curtas com um ano e meio de idade. Aos três, já lia. Aos dez, conhecia todas as regras gramaticais. Aprendeu a desenhar por conta própria, ainda na infância. Aos 16 anos, foi avaliado com um quoeficiente intelectual de 138 (isoladamente, seu desempenho linguístico estava em torno de 160, naquela idade). Adulto, aprendeu a tocar um instrumento de percussão em três aulas. Tende à liderança. Sua mente é uma "fábrica de ideias" e é comum que durma pouco por causa disso.

Entretanto, não conte com essa pessoa para resolver equações químicas ou recitar o "Pi". Também não pergunte a nosso membro como chegar a determinado lugar; talvez, nosso "Super Specialis" não saiba explicar. 

Ah! E tome cuidado com o que diz ou como olha para ele. Certamente, ele ficará pensando profundamente sobre isso por uma semana ou mais, pois tende a analisar tudo nos mínimos detalhes, refletindo até mesmo sobre todos os significados possíveis de suas palavras e a construção de sua frase. Essa pessoa é um pouco desconfiada, por conta de experiências passadas.Também não "grude" nela de repente. Provavelmente, ela fuja de você ou simplesmente "trave". 

É hipersensível, em vários sentidos do termo: sente-se facilmente atingida por injustiças e falta de ética, mesmo que não esteja diretamente envolvida na situação; faz de tudo para ajudar quem necessita; seu olfato e seu paladar são tão sensíveis, que chegam a atrapalhar algumas vezes.

Por outro lado, nosso integrante é extremamente ético, não consegue ser falso e, se você for amável, demonstrar respeito e interesse por suas produções, ele gostará de ser seu amigo. Quando faz um elogio, é sempre sincero - aliás, quando desaprova algo, suas expressões faciais revelam isso imediata e involuntariamente; é uma pessoa muito expressiva. Se ela procurá-lo muito, esteja certo: ela quer sua amizade e se soltará rapidamente, brincando e fazendo piadas. Quando se sente à vontade, o membro do Super Specialis se torna extrovertido.

Como vocês podem ver, os alto-habilidosos também diferem entre si. Usamos uma celebridade e uma pessoa do Super Specialis para mostrar que cada caso deve ser analisado individualmente e que os AH/SDs não são perfeitos.
Aquela pessoa famosa que inspirou este artigo tem um QI mais alto que nosso integrante. Suas habilidades também são diferentes. Mas tanto ele como nosso "Super" têm dificuldades em outras áreas da vida, às vezes, cometem "sincericídio", sentem-se atingidos com facilidade. Queremos mostrar que esses problemas não anulam a superdotação. O cérebro humano é mais complexo do que imaginamos e ainda há muita pesquisa a ser feita.

Para tirar mais dúvidas a respeito, leia nossa seção de mitos e verdades sobre altas habilidades e deficiências: http://superspecialis.blogspot.com/2015/02/duvidas-frequentes.html

Consulte também os seguintes sites:
http://conbrasd.org
http://apahsd.org.br

Carmem Toledo


Agradecimentos: Angelita Drunkenmolle (blog http://tenhoaheagora.com) e Irene G. R. de Toledo (Super Specialis).



Autoria

"Super Specialis" (superspecialis.blogspot.com) é de autoria de Carmem Toledo. Está proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo aqui publicado, inclusive dos disponibilizados através de links aqui presentes. A mesma observação se estende a todos os blogs e páginas da autora ("Culturofagia", "O Caminhante Solitário", "Sophia... Ieri, Oggi, Domani", "A. B. A. C. A. T") e toda e qualquer criação, seja em forma de texto ou ilustração, por ela assinada.

Aviso:

Antes que esta página fosse criada, houve muita leitura sobre os temas abordados. Em caso de dúvidas, acesse todas as seções do blog e leia com atenção (sobretudo as guias "Sobre", "Quem somos" e "Indicações bibliográficas").

Não copie e cole o conteúdo aqui presente em qualquer outro lugar, pois ele foi escrito com muita pesquisa e dedicação. Lutar por respeito à diversidade e à inclusão também é lutar pela ética e quem se apropria do trabalho alheio não está preocupado com nada disso. Se você quiser compartilhar, copie o link para as postagens, e não seu texto.

Se você tiver alguma dúvida específica sobre seu filho, neto, sobrinho ou aluno, procure um profissional especializado que corresponda melhor à sua situação. Não use a internet para procurar ou perguntar sobre medicamentos e tratamentos, pois isso pode lhe causar um grande transtorno.